Blog

CLASSIC LIST

Franquia-BioHouse-Ambiente-Interno-Mesa.png

Olá você busca atendimento de Nutrição para você ou algum familiar com qualidade de atendimento e preço justo e popular ? Você encontrou!  É aqui na BIOHOUSE TERAPIAS! Somos primeira franquia de reabilitação do Brasil nosso atendimento é pautado na empatia; ou seja nos colocamos no seu lugar, tratamos como gostaríamos de ser tratado com respeito, qualidade, conhecimento e muito, mais muito Amor …. Afinal somos apaixonados em reabilitar pessoas e proporcionar qualidade de vida, bem-estar, independência  para cada um de nossos pacientes.

Caso você esteja cansado, dos atendimentos deficitários que encontrou por aí venha para BIOHOUSE e você sentirá diferença desde à primeira sessão.

A nossa Clínica BIOHOUSE TERAPIAS, está no centro de São Paulo em um prédio histórico Palácio Zarzur ou  Mirante do Vale  nome da sua fundação inicial, estamos próximo estação São Bento e Anhangabaú  do metro  ao lado do Viaduto Santa Ifigênia.

O centro de São Paulo, está em processo de revitalização diríamos reabilitação urbana diante desse quadro a fundadora BIOHOUSE  a Dra Elizangela Barbosa, aderiu plano diretor da cidade de São Paulo e decidiu que  a sede da franquia e a Clínica seria no Centro de São Paulo, aderimos reabilitação do espaço urbano; já que reabilitamos pessoas aderência total desse projeto inovador, visionário e pioneiro. Somos apaixonados por reabilitar acreditamos que tudo muda quando mudamos, queremos um mundo melhor, temos propósito e impacto social em nossas ações, atendemos com preço justo e popular para atender boa parte da população.

Nossa localização:

O edifício Mirante do Vale (Palácio ZARZUR) é um arranha-céu localizado na cidade de São Paulo, no Brasil. Por 48 anos, foi o maior edifício do país, além de ter sido o 18.º arranha-céu mais alto da América do Sul, com 170 metros de altura. Projetado pelo arquiteto Waldomiro Zarzur, sua construção começou em 1960 e foi inaugurado em 1966. O imponente edifício tem 51 andares e a Clínica BIOHOUSE está localizada em meados da edificação no 24 andar com uma vista  exuberante para Vale do Anhangabaú, corredor norte e sul, 23 de maio, avistando as antenas de TV lá da região da Avenida Paulista.

Nossa missão reabilitar e lhe proporcionar o melhor atendimento venha para Clínica BIOHOUSE Terapias nossas especialidades são: fonoaudiologia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional e fisioterapia.

Nosso endereço: Rua Brigadeiro Tobias, 118 Sala 2403 – andar 24 – Centro de São Paulo – SP.

E atendemos também atendimento domiciliar (home care), o custo deslocamento é passeado no CEP de atendimento entre em contato pelo nosso WhatsApp (11) 96497-8157 e passamos valor da consulta.  Agende sua consulta!



Disfagia pode ser resultado de uma anormalidade anatômica ou Funcional em qualquer estrutura e fase do processo de deglutição.

Normalmente ocasionado por uma doença de base como por exemplo: Acidente Vascular Cerebral (AVC), Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), Hidrocefalia, Paralisia Cerebral (PC), Atrofia Muscular, Esclerose  Lateral Amiotrófica (ELA), Síndromes, Alzheimer, traumas, Parkinson, Câncer de cabeça e pescoço, entre outras patologias.

Disfagia

Qual faixa etária de idade que a Disfagia acomete?

A Disfagia acomete desde recém-nascidos, crianças, adultos; sendo mais frequentes na vida idosa no processo de envelhecimento.

As causas frequentes de Disfagia em crianças são: prematuridade, anomalias do sistema digestório e respiratório, defeitos congênitos da cavidade oral, laringe, traqueia e esôfago, defeitos anatômicos adquiridos, distúrbios do desenvolvimento neuromotor, desordens traumáticas neuromotoras, privação de alimentação oral por longo prazo, problemas respiratórios, problemas cardíacos e problemas alimentares comportamentais.

As causas frequentes de Disfagia em adultos são: distrofias musculares, demência, cirurgia de cabeça e pescoço, doenças sistêmicas (AIDS), doenças da coluna cervical, efeitos de medicamentos como: antidepressivos, antibióticos e quimioterápicos, mudanças senis no sistema sensório-motor, doenças neurológicas.

Quais tipos de Disfagia?

Existem classificação de três tipos Disfagia Mecânica, Disfagia Neurogênica ou Disfagia Mista.

Disfagia Mecânica é aquela que o controle neurológico central e os nervos periféricos estão intactos, mas as estruturas anatômicas estão alteradas.
Disfagia Neurogênica é aquela que o controle neurológico central e os nervos periféricos estão alterados, mas as estruturas anatômicas estão intactas.
Disfagia Mista é aquela que o controle neurológico central e os nervos periféricos estão alterados, mas as estruturas anatômicas estão também alteradas.

Quais as Classificações da Disfagia?

Podemos classificar a Disfagia em Orofaríngea e Esofagiana, vejamos as diferenças:

Disfagia Orofaríngea é quando as alterações dizem respeito às fases oral e ou faríngea da deglutição; sendo denominada orofaríngea ou alta.
Disfagia Esofagiana é quando as alterações na fase esofagiana da deglutição, a disfagia é denominada esofagiana ou baixa.

Qual é o Tratamento da Disfagia?

O tratamento da Disfagia é interdisciplinar com reabilitação da deglutição realizada por um profissional fonoaudiólogo com exercícios, eletroestimulação, laserterapia entre outras propostas terapêuticas.
Em comum acordo com acompanhamento médico e nutricional.
O tratamento tem começo, meio e fim para doenças não degenerativas com média máxima de 35 sessões; de acordo com quadro clínico paciente e grau da doença que o acometeu; esse plano terapêutico é traçado pelo fonoaudiólogo na avaliação em alguns casos sendo necessários exames complementares como: videodeglutograma e etc.
Em casos de doenças degenerativas o acompanhamento com sessões são continuo com plano terapêutico de duas, três ou diário estabelecido pelo fonoaudiólogo de acordo com a patologia e grau de acometimento.
A inserção e retirada da sonda nasoenteral ou gástrica deverá ser realizada mediante avaliação do profissional fonoaudiólogo com especialidade em Disfagia.

“ Autora do texto Dra Elizangela Aparecida Barbosa, fonoaudióloga e gestora da Franquia de BIOHOUSE Terapias.

“Direitos reservados ao autor do Texto. Não pode ser reproduzido sem o devido crédito parcial ou integral.”



9 Alterações de Comportamento na Pessoa com Alzheimer:

alzheimer

1) INSÔNIA

– Procure deixar o ambiente do quarto silencioso e com pouca luz.
– Certifique-se de que a cama e as roupas usadas pelo paciente para dormir, sejam confortáveis e não esteja molhada, para que ele não se sinta apertado e não passe frio ou calor.
– Tente evitar que o paciente durma durante o dia, envolvendo-o em atividades agradáveis que afastem o sono.

2) DELÍRIOS

– O paciente com alzheimer tem a sensação de está sendo perseguido, tente explicar o que está acontecendo, onde ele está e que ninguém fará mal a ele.
– Sempre dê parâmetro de realidade explicitando fatos.
– E se uma determinada pessoa for considerada nociva, certamente será incluída no delírio e isso a afastará de qualquer possibilidade de oferecer ajuda.

3) ALUCINAÇÕES

– Em hipótese nem uma não discuta com o paciente com alzheimer sobre a veracidade do que ele está vendo ou ouvindo.
– Certifique-se que no ambiente não há algum objeto ou fator desencadeante da alucinação como por exemplos: uma planta fazendo sombra, o vento fazendo barulho na cortina, objeto de decoração que a perturbe.

4) SEXUALIDADE EXACERBADA

– Evite situações, sons e imagens que possam ocasionar estimulação sexual.
– Na hora da higiene íntima esclareça informe paciente que é o momento da higienização, explicando porque e para que do fato.
– Procure médico e ou psicólogo para identificação e solução do problema.

5) PERAMBULAÇÃO

– Na parte interna das roupas faça identificação com: nome, endereço e número de telefone.
– Esconda as chaves da casa e do carro para evitar que paciente tente sair de casa.
– Coloque nas portas e portões sinos ou até câmeras para evitar fuga do paciente.

6) AGRESSIVIDADE

– Em caso de agressividade tente mudar o foco chamando a atenção do paciente para outra coisa como paisagem, fotos, música e etc… como uma tentativa para acalma-lo.
– Proponha fazer outra atividade do tipo motora como: caminhar.
– E tente de maneira sutil descobrir o motivo da reação da agressividade e evite repetir a situação.

7) DEPRESSÂO

– A depressão necessita de tratamento psicológico e medicamentoso, não espere, pois o quadro não melhora sozinho, apenas se agravam com o tempo. O tratamento miniminiza o sofrimento do paciente.
– Sempre propicie acolhimento do paciente em meio às conversas e atividades familiares; pois exclusão apenas agrava o quadro.
– A expressão de amor, carinho e cuidado ajuda o paciente sair do quadro de depressão.

8) ANSIEDADE

– Mantenha ambiente calmo, organizado, seguro e agradável para rotina do paciente.
– Evite conversas, brigas e discussões desnecessárias na frente ou próximo do paciente.
– Evite gritar ou falar alto com paciente.
– Evite toda e qualquer agitação desnecessária no ambiente que paciente está inserido.

9) MANEJO DE SINTOMAS

– Evite reações emocionais negativas com ou na frente do paciente.
– Nunca trate o paciente com impaciência, agressividade ou ainda com irritabilidade esses sentimentos podem aumentar conflito e ocasionar no paciente repudia, distanciamento; além de gerar sentimentos de impotência, medo, tristeza, desânimo, dificuldades de lidar com perdas.
– Não trate o paciente com desprezo e indiferença.
– Nunca ignore os desejos e atitudes do paciente porque ele não se recordará depois esse fato poderá enfraquecer os vínculos e a interação social do paciente.
– A ausência de resposta favorece a passividade e pode exacerbar confusão e até agressividade.
-Não use aceitação com permissividade excessiva; tente entender as atitudes do pacientes e apresentar os riscos para aquela situação e impor postura de cuidados com imposição de limites.

“Direitos reservados ao autor do Texto. Não pode ser reproduzido sem o devido crédito parcial ou integral.”


psicologia-clinica.jpg

A Psicologia do Desenvolvimento Humano estuda a pessoa humana em todos os seus aspectos: físico motor; intelectual; afetivo-emocional e social.

Estuda como e porque o indivíduo se comporta de determinada forma em uma situação de acordo com momento e fase da sua vida. Observado e tentando  conhecer as características comuns de uma faixa etária, considerando as características universais e individuais e correlacionar com fatores que influenciam o desenvolvimento.

A Psicologia do Desenvolvimento Humano 
Psicologia do Desenvolvimento Humano divide em quatro fatores que influenciam o desenvolvimento humano:
– Hereditariedade: carga genética, potencial que pode ou não se desenvolver.
– Crescimento: aspecto físico de cada indivíduo.
– Maturação Neurofisiológica: é o que torna possível determinado padrão de comportamento.
– Meio: influências e estimulação alteram o comportamento do indivíduo.

O que é Desenvolvimento Humano?

São as mudanças nas estruturas físicas, neurológicas, cognitivas e comportamentais que emergem de maneira ordenada e são relativamente duradouras.

Quais as Metas da Psicologia do Desenvolvimento Humano?

  • Compreender as mudanças que aparecem ser universais.
  • Explicar as diferenças individuais
  • Explicar como o comportamento é influenciado pelo contexto ou situação ambiental.

 

Quais as Fases do Desenvolvimento Humano?

– Pré-Natal: quando indivíduo ainda é um embrião e recebe toda carga genética física, emocional, afetiva e biológica dos pais.
– Nascimento: no ato do nascimento o indivíduo começa interagir com meio externo inicia-se processo de crescimento e desenvolvimento físico-motor, cognitivo, emocional, intelectual e social.
–Infância: é na infância que a criança em desenvolvimento experimenta mudanças, posterior estabilidade passando de um estágio para outro.
– Adolescência: é período de transição entre a infância e a vida adulta; ou seja transição do período de dependência  dos pais para período de treinamento da  independência,  autonomia  e responsabilidades. Momento das alterações físicas e hormonais para desenvolvimento psicossexual.
– Adulto: é momento  de total da independência, autonomia  e responsabilidades. A busca e o alcance da estabilidade emocional, financeira, profissional e afetiva.
– Idoso: é momento  do declínio físico, ausência dos filhos, perda de amigos e cônjuge, fase também do renascimento para novos desafios e perspectivas para uma vida saudável e feliz.

Em qualquer fase da vida a Psicologia está a serviço das pessoas para auxilia-las a viver melhor  e enfrentar os desafios da vida cotidiana e compreender  melhor o seu “eu” e o meio que indivíduo está inserido.

“Direitos reservados ao autor do Texto. Não pode ser reproduzido sem o devido crédito parcial ou integral.”

 


nutri-home-1200x1200.png

A assistência nutricional domiciliar é um tipo de serviço que tem como objetivo oferecer aos pacientes e a seus familiares a possibilidade de assistência nutricional aliada ao conforto do seu domicílio.
Para o paciente representa melhor recuperação clínica, diminuição do estresse causado pela rotina hospitalar e acompanhamento periódico, o que faz com que possamos elaborar estratégias capazes de deter quadros de desnutrição e carências nutricionais.
O Programa de Assistência Nutricional Domiciliar compreendes seguintes etapas de avaliações:

  • Clínica: identifica possíveis carências nutricionais pelo diagnóstico médico, exame físico, medicação em uso e avaliação laboratorial.
  • Antropométrica: avalia o estado nutricional atual, por parâmetros de peso corporal, reserva de gordura emuscular, que visam detectar as alterações mais precoces.
  • Dietética: avalia-se o hábito alimentar do paciente, ou, em casos em que os pacientes alimentam-se por sondas ou estomias (suporte nutricional/dieta enteral),identificam-se e quantificam-se os nutrientes ingeridos.

assistencia domiciliar

Avaliação do Ambiente

A avaliação tempor objetivo considerar a avaliação da residência, identificando possíveis fatores que possam comprometer as recomendações. Serão realizadas orientações sobre higienização das mãos, dos alimentos, dos utensílios e do ambiente; frequência de lavageme desinfecção de equipamentos; armazenamento de alimentos e/ou dietas manipuladas ou industrializadas e possíveis esclarecimentos de dúvidas e propostas de modificações ou adaptações, quando necessárias.

 

Conclusão

Concluindo o processo, determinamos a conduta a ser seguida pela prescrição com recomendações dietéticas, hidratação, via de alimentação utilizada, tipo de dieta com características nutricionais, volume e administração. Neste momento, estabelecemos o plano de cuidados nutricionais, programando a periodicidade das visitas do nutricionista. Vale salientar a importância do trabalho interdisciplinar da nutrição com demais profissionais, em especial com fonoaudiologia, para a eficiência da reabilitação e adequação da alimentação do paciente e desmame da sonda de alimentação.

 

 

Trecho do Livro: Profissionais da Saúde e Home Care.

Ano: 2017

Editora Revinter – 1ª edição

Proibido o uso do conteúdo total ou parcial, sem autorização.

Direitos reservados a BioHouse Terapias.


Você profissional de uma das seguintes áreas venha ser um franqueado: fonoaudiologia, fisioterapia, nutrição, psicologia e terapia ocupacional.

Notícias Recentes

Copyright BiohouseTerapias 2019. Todos os direitos reservados