Blog

CLASSIC LIST

o-desenvolvimento-motor-na-infância.jpg

Agora vamos falar dos marcos de desenvolvimento motor desde o primeiro mês de vida até os 4 anos; onde separamos entre desenvolvimento motor grosso e fino.
O desenvolvimento motor grosso envolve os maiores grupos musculares e são responsáveis pelos movimentos de andar, sentar, sustentar a cabeça.
O desenvolvimento motor fino está relacionado com os movimentos de pinça e preensão.

Vamos dividir por etapas de 0 a 18 meses e de 2 a 4 anos, para melhor entendimento.

1 mês:
Motor grosso: move as mãos e os pés ao mesmo tempo
Motor fino: abre os dedos ligeiramente quando em repouso

2 meses:
Motor grosso: levanta a cabeça e o peito em posição prona
Motor fino: abre e fecha as mãos, e por breves períodos deixa as mãos juntas

Entre 3 e 4 meses:
Motor grosso: nessa fase a criança leva as mãos à boca com frequência, começam a rolar
Motor fino: inicia movimento de abrir e fechar as mãos, consegue prensar um objeto e levar até a boca.

Entre 5 e 6 meses:

Motor grosso: rola por completo, senta-se com apoio e brevemente sem apoio
Motor fino: consegue pegar objetos e passar de uma mão para outra, bate os brinquedos na mesa ou no chão e sorri com o som emitido

Entre 7 e 9 meses:
Motor grosso: senta sem apoio, engatinha e ameaça passos com apoio
Motor fino: balança objetos (por ex chocalho), joga objetos intencionalmente, pega alimentos para comer com três dedos.

1 ano:
Motor grosso: começa a “andar”, dando os primeiros passos, muitas vezes com apoio ainda, e aos poucos consegue ficar sem, se mantém em pé sozinho.
Motor fino: pega objetos com dois dedos (pinça aberta), consegue colocar e tirar objetos de um lugar

15 meses:
Motor grosso: anda sozinho, pára e continua andando novamente; pode agachar para pegar um objeto e levantar sem apoio novamente
Motor fino: tira e coloca tampas de panelas e potes, com o indicador aperta um interruptor, pode rasgar as páginas de um livro. Monta uma torre de 2 cubos

18 meses:
Motor grosso: se você chutar uma bola, ele pode fazer igual por imitação.
Motor fino: monta uma torre com 3 a 4 cubos, explora toda a sua casa, querendo abrir portas e gavetas

O desenvolvimento de 2 a 4 anos:

Entre 24 e 30 meses:
Motor grosso: corre, sobe escadas com ajuda de um adulto, um degrau por vez; abre portas
Motor fino: consegue usar colher para comer e segura bem o seu copo.

Entre 36 e 42 meses:
Motor grosso: alterna os pés para subir escadas, consegue pedalar um triciclo,
Motor fino: come sozinho, calça os sapatos sozinho

48 meses:
Motor grosso: pula em um pé só, anda de bicicleta
Motor fino: segura e pinta com lápis, faz desenhos, escova os dentes sozinho

É muito importante que os pais apoiem seus filhos a cada conquista do seu desenvolvimento. Para isso sempre encoraje-o e dê novas atividades a ele, afim de estimular seus sentidos e o fazer progredir. Se a criança sentir confiança, terá mais força para avançar. Lembre-se que aqui estamos falando de idades médias para cada conquista, o que pode variar de criança para criança, e é por isso que o acompanhamento regular com o pediatra é imprescindível.

Nossa missão reabilitar e lhe proporcionar o melhor atendimento venha para Clínica BIOHOUSE Terapias nossas especialidades são: fonoaudiologia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional e fisioterapia.

Nosso endereço: Rua Brigadeiro Tobias, 118 Sala 2403 – andar 24 – Centro de São Paulo – SP.


desenvolvimento-motor-infantil.png

O desenvolvimento motor(infantil) é o processo de mudança no movimento da criança, que envolve alterações complexas onde participam todos os aparelhos e sistemas do organismo.
O desenvolvimento motor não é regra, pode variar de criança para criança, mas existe um tempo máximo; devendo sempre ser acompanhado pelo pediatra afim de detectar atrasos e patologias precocemente.
Um adequado desenvolvimento motor repercute no futuro da criança em aspectos sociais e intelectuais.
Durante a primeira infância, é importante estimular com brinquedos próprios para cada idade, inicialmente com chocalhos ou tapetes de atividades por exemplo; pois nessa fase o desenvolvimento das habilidades acontece rapidamente.

Existem inicialmente, alguns reflexos primitivos que são respostas automáticas e estereotipadas a um determinado estímulo externo. Esses, estão presentes desde o nascimento mas devem ser inibidos ao longo dos primeiros meses, quando surgem os reflexos posturais. A sua presença demonstra integridade no sistema nervoso central, porém sua persistência em idades inadequadas pode demonstrar disfunção neurológica. Todos devem ser realizados pelo pediatra na primeira consulta após o nascimento.

São eles:

Reflexo de moro: observa-se extensão e abdução dos membros superiores, seguida por choro, quando estimulados seus braços ou involuntariamente também. Desaparece por volta de 3 a 4 meses.

Reflexo de busca: desencadeado por estimulação da face ao redor da boca. Observa-se rotação da cabeça na tentativa de “buscar o objeto”

Sucção reflexa: desencadeado pela estimulação dos lábios quando se coloca por exemplo o dedo indicador com luva na boca do bebê. Sua ausência é sinal de disfunção neurológica.

Reflexo tônico cervical de Magnus e de Kleijn, ou reflexo de esgrimista: ocorre a rotação da cabeça, enquanto a outra mão do examinador estabiliza o tronco do recém nascido. Observa-se a extensão do membro superior ipsilateral à rotação e flexão do membro superior contralateral.

Preensão palmar: quando o examinador faz uma pressão na palma da mão, observa-se a flexão dos dedos.

Preensão plantar: quando se faz uma pressão na base dos artelhos, observa-se a flexão dos dedos.

Apoio plantar: Segurar o recém nascido pelas axilas, desencadeia seu apoio dos pés sobre uma superfície dura,

Marcha reflexa: quando a criança obtém o apoio plantar, incline o tronco do recém nascido um pouco para frente, que observará o cruzamento das pernas, uma em frente à outra.

Reflexo de colocação (Placing): o bebê estando seguro pelas axilas, é feito um estímulo tátil em seu dorso do pé, observando uma elevação do mesmo como se estivesse subindo um degrau de escada.

Manobra de Barlow e Ortolani não são reflexos primitivo e sim manobras realizadas no recém nascido para avaliar displasia de quadril. Devem ser enfatizado ainda no berçário e na primeira consulta com o pediatra. A displasia no quadril pode ser uma anormalidade no tamanho, morfologia orientação anatômica ou organização da cabeça femoral, cavidade acetabular ou ambos.

Nossa missão reabilitar e lhe proporcionar o melhor atendimento venha para Clínica BIOHOUSE Terapias nossas especialidades são: fonoaudiologia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional e fisioterapia.

Nosso endereço: Rua Brigadeiro Tobias, 118 Sala 2403 – andar 24 – Centro de São Paulo – SP.


psicologia-clinica.jpg

A Psicologia do Desenvolvimento Humano estuda a pessoa humana em todos os seus aspectos: físico motor; intelectual; afetivo-emocional e social.

Estuda como e porque o indivíduo se comporta de determinada forma em uma situação de acordo com momento e fase da sua vida. Observado e tentando  conhecer as características comuns de uma faixa etária, considerando as características universais e individuais e correlacionar com fatores que influenciam o desenvolvimento.

A Psicologia do Desenvolvimento Humano 
Psicologia do Desenvolvimento Humano divide em quatro fatores que influenciam o desenvolvimento humano:
– Hereditariedade: carga genética, potencial que pode ou não se desenvolver.
– Crescimento: aspecto físico de cada indivíduo.
– Maturação Neurofisiológica: é o que torna possível determinado padrão de comportamento.
– Meio: influências e estimulação alteram o comportamento do indivíduo.

O que é Desenvolvimento Humano?

São as mudanças nas estruturas físicas, neurológicas, cognitivas e comportamentais que emergem de maneira ordenada e são relativamente duradouras.

Quais as Metas da Psicologia do Desenvolvimento Humano?

  • Compreender as mudanças que aparecem ser universais.
  • Explicar as diferenças individuais
  • Explicar como o comportamento é influenciado pelo contexto ou situação ambiental.

 

Quais as Fases do Desenvolvimento Humano?

– Pré-Natal: quando indivíduo ainda é um embrião e recebe toda carga genética física, emocional, afetiva e biológica dos pais.
– Nascimento: no ato do nascimento o indivíduo começa interagir com meio externo inicia-se processo de crescimento e desenvolvimento físico-motor, cognitivo, emocional, intelectual e social.
–Infância: é na infância que a criança em desenvolvimento experimenta mudanças, posterior estabilidade passando de um estágio para outro.
– Adolescência: é período de transição entre a infância e a vida adulta; ou seja transição do período de dependência  dos pais para período de treinamento da  independência,  autonomia  e responsabilidades. Momento das alterações físicas e hormonais para desenvolvimento psicossexual.
– Adulto: é momento  de total da independência, autonomia  e responsabilidades. A busca e o alcance da estabilidade emocional, financeira, profissional e afetiva.
– Idoso: é momento  do declínio físico, ausência dos filhos, perda de amigos e cônjuge, fase também do renascimento para novos desafios e perspectivas para uma vida saudável e feliz.

Em qualquer fase da vida a Psicologia está a serviço das pessoas para auxilia-las a viver melhor  e enfrentar os desafios da vida cotidiana e compreender  melhor o seu “eu” e o meio que indivíduo está inserido.

“Direitos reservados ao autor do Texto. Não pode ser reproduzido sem o devido crédito parcial ou integral.”

 


Você profissional de uma das seguintes áreas venha ser um franqueado: fonoaudiologia, fisioterapia, nutrição, psicologia e terapia ocupacional.

Notícias Recentes

Copyright BiohouseTerapias 2019. Todos os direitos reservados