Blog

CLASSIC LIST

pscico-home-1200x1200.png

O que é a avaliação inicial ou anamnese?

Para iniciar qualquer tratamento na área da saúde a pessoa logo após agendamento da consulta necessita passar pela Avaliação Inicial ou Anamnese: é quando profissional vai preencher um questionário que tem história do paciente quando criança, fatores como: gestação, parto, pós-parto e desenvolvimento infantil, são fundamentais para profissional ter uma noção da vida daquele sujeito; assim também analisar o contexto que aquela família vive e sua dinâmica familiar, rotina, aspectos emocionais, culturais, sócio-econômico e psicológico entre outros.
É na avaliação inicial que os exames e encaminhamentos são vistos de maneira detalhada e caso necessário são feitos novos encaminhamentos e exames.
Avaliação é o momento que o profissional examina e faz alguns testes de acordo com cada patologia e olhar clínico e a experiência profissional são fatores fundamentais para diagnóstico ou para traçar o planejamento de tratamento para cada paciente respeitando fatores individuais como: idade e aspectos: sócio-econômico, culturais, limitação física, emocional e psicológica. O tratamento difere para cada caso; mesmo em doenças mais comuns.
Vale salientar que o olhar do profissional deve ser personalizado para cada indivíduo mesmo nas doenças mais comuns.
Em casos mais complexos avaliação pode acontecer em partes em várias consultas ou sessões e em caso de diagnóstico em aberto avaliação é constante; pois olhar do profissional tem que esta atento a cada detalhe em cada sessão.
Avaliar é planejar quais serão os próximos passos para aquela patologia e como aquele profissional ou aquela equipe irá conduzir o caso.

avaliaçãou ou anamnese

Mudança de tratamento:

Caso paciente mude de tratamento, de estado, país e etc; deverá submeter-se uma nova avalição inicial cada profissional ou equipe de saúde deverá traçar um planejamento o paciente pode até apresentar relatório de avaliação, porém será traçado um novo planejamento cada profissional tem jeito de desenvolver seu trabalho e carrega experiências profissionais distintas são vidas tratando de vidas. Então não existe programação como as de um computador sequenciada o profissional pode até seguir mesma técnica, método etc, porém execução difere pois as pessoas não são iguais.
É importante cada ciclo do tratamento profissional realizar Re-avaliação para mensurar evolução do tratamento e eficácia do método.
A família ou paciente tem direito de buscar uma nova avaliação ou até mesmo a recusar tratamento; cabe profissional compreender momento e os aspectos psicológico daquela família ou paciente.
No caso de reabilitação, não existe reabilitação de uma sessão ou fazer uma avaliação sair curado; nada disso existe; após diagnóstico existe tratamento para casos de doenças curáveis ou em caso de doenças incuráveis acompanhamento para retardar evolução da doença.
O profissional de saúde não faz milagres, apenas atua dentro da sua área de estudo e conhecimento.
Na área da saúde não existe avaliação grátis. Os conselhos profissionais entendem que, para o profissional atender bem um paciente foram anos de estudos, pesquisas e congressos; no qual teve um custo. Dessa forma existem leis que fiscalizam e legislam atuação de cada profissional e no qual ele tem o dever de cobrar pelo seu trabalho.
E caso você encontre por aí profissionais que oferecem serviços grátis desconfie pois, se ele não tem boa conduta com a profissão, ele terá boa conduta com o paciente? Faça essas perguntas: Ele agirá de forma ética? Será que essa pessoa tem registro profissional? Será que esse profissional tem algum tipo de processo no conselho ou na justiça? Então pegue nome e número de registro profissional e consulte.
E fuja de profissionais que não respeitam as leis, ele também não irá te respeitar como paciente.

Texto autoria: Dra Elizangela Aparecida Barbosa CRFa 16.023
Proibido a reprodução ou plágio sem autorização prévia da autora.

 


6.jpg

Ao recebermos um paciente com diagnóstico de paralisia da prega vocal primeiramente devemos realizar uma anamnese.

Um fator importante nesse primeiro momento é sabermos qual a etiologia da paralisia, se congênita, iatrogênica, idiopática, neurológica ou viral.
Frequentemente, neste primeiro contato, o paciente já possui uma avaliação laringológica filmada sem ou com estroboscopia, a qual permite ao fonoaudiólogo uma visão mais minuciosa do caso em questão.

Avaliação fono

Anamnese

Durante a anamnese, obteremos os dados de identificação do paciente, do encaminhamento, da queixa e do período de duração da alteração funcional. É um excelente momento para se deixar o paciente mais à vontade e assim se iniciar o vínculo da relação terapeuta-paciente. É importante se observar  além das palavras do paciente, alterações na expressão facial, na postura, na ênfase, na inflexão e na prosódia. Outro fator relevante a se observar é a linguagem corporal e a disponibilidade do paciente no seu processo de reabilitação.

Muitas vezes, o paciente vai à procura de um tratamento fonoaudiológico induzido por terceiros, como amigos e familiares. Em relação à queixa, é importante se observar o quanto realmente a alteração está incomodando o paciente. Muitas vezes, durante esse primeiro contato não valorizamos corretamente a queixa do paciente e isso seguramente pode interferir diretamente no processo de reabilitação. É importante sabermos como se iniciou os sintomas, se de forma repentina ou gradual e se as alterações apresentam picos de melhora ou piora.

Embora esse paciente venha encaminhado devido a alterações vocais, respiratórias e/ou de deglutição, devemos interrogá-lo a respeito da sua saúde geral, visto que essas funções dependem da integridade e sincronia de muitos outros órgãos. Assim, é importante o questionamento de queixas ou doenças relacionadas ao sistema respiratório, neurológico, endócrino, cardíaco e gástrico. Se faz uso de medicamentos e se já realizou cirurgias anteriores.

Investigação

Saber se há antecedentes familiares e pessoais em relação a sua queixa principal, se já houve anteriormente quadros de disfonia, disfagia e/ou de alterações respiratórias. Deve-se caracterizar qual o tipo de tratamento empregado, se medicamentoso, cirúrgico, fonoterápico ou psicológico e os resultados obtidos.

Outro fator a ser investigado é quanto aos hábitos de vida, se tabagista, etilista, se realiza abuso ou mau uso vocal, se é esportista e quais as atividades de lazer. Quanto mais conhecermos os hábitos de vida do paciente melhor conseguiremos adequá-lo ao processo de reabilitação, pois muitas das vezes podemos associar atividades prazerosas ao paciente com a realização de algumas técnicas terapêuticas.

“Direitos reservados ao autor do Texto no livro: FONONCOLOGIA. Não pode ser reproduzido sem o devido crédito parcial ou integral das Autoras do Livro.”


Você profissional de uma das seguintes áreas venha ser um franqueado: fonoaudiologia, fisioterapia, nutrição, psicologia e terapia ocupacional.

Notícias Recentes

Copyright BiohouseTerapias 2019. Todos os direitos reservados