ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DE REABILITAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM CÂNCER DE CAVIDADE ORAL

Autores Viviane de Carvalho, Elizangela Aparecida Barbosa
Instituição 1 ICAVC – Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho (R. Dr Cesário Motta Jr, 112)

Resumo:

Introdução: O câncer de cavidade oral é a quinta neoplasia maligna mais freqüente na população brasileira. Independente do tratamento realizado esse paciente pode evoluir com alterações emocionais, sociais e estéticas e funcionais na voz, fala e deglutição, necessitando da atuação da equipe multidisciplinar e do fonoaudiólogo desde o pré-operatório.

 

Objetivo: Realizar um estudo epidemiológico das características de reabilitação fonoaudiológica dos pacientes submetidos à glossectomia atendidos no Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho (ICAVC).

 

Material e método: Estudo retrospectivo. Foram avaliados 123 prontuários prontuários dos pacientes submetidos à glossectomia pelo Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do ICAVC. Do total de prontuários, quarenta se enquadraram nos critérios de inclusão:ter sido submetido à glossectomia total ou parcial associada ou não à mandibulectomia total ou parcial e ter realizado fonoterapia.

Desses prontuários foram coletadas informações relacionados ao pré – operatório, pós-operatório e reabilitação fonoaudiológica. A partir dessas informações foi realizada uma análise estatística descritiva qualitativa e quantitativa com o objetivo de verificar aspectos relevantes à pesquisa. Resultados: Foram elegíveis 40 pacientes, sendo 35 do sexo masculino e 5 do sexo feminino Destes, 70% dos pacientes foram diagnosticados nos estadiamentos III e IV; todos realizaram tratamento radioterápico; 75% dos avaliados retiraram sonda nasoenteral em até 6 sessões (média 4 meses) sem intercorrências ;87,5% dos pacientes retiraram a cânula de traqueostomia em até quatro sessões (média 2 meses); todos foram submetidos à orientação pré-operatória,avaliação e fonoterapia (média de 12 sessões) e desistiram ou evadiram da fonoterapia antes da alta.

 

Conclusão: Por meio deste estudo epidemiológico foi possível evidenciar e quantificar em número de sessões e meses a importância da atuação fonoaudiológica em câncer de boca e de cavidade oral no processo de reabilitação da deglutição, voz e articulação.

 

 

“Direitos reservados aos autores do Texto. Não pode ser reproduzido sem o devido crédito parcial ou integral.”

Seja bem vindo ao nosso Blog!

admin

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *